CONTATO

Selecionar categoria:


Nome *

E-mail *

CPF/CNPJ (do assinante) *

Nome Condomínio (caso seja condomínio)

CEP (da localidade de interesse)

Digite aqui sua dúvida: *

Caracteres:

    Trocar imagem

Digite o texto que você está vendo na imagem acima:




sigmanet


Estamos a disposição para atendê-lo a fim de esclarecer eventuais dúvidas, solucionar problemas ou qualquer tipo de suporte necessário.

Tel. (19) 2122.8500
Fax (19) 2122.8522
suporte@sigmanet.com.br mail



Nosso endereço:
R. Barão de Jaguara, 707, 3º andar - sala 31 Mozart
CEP 13015-926 - Campinas, SP - Brasil

 

Notícias RSS

Confira as atrações do Terra da Gente deste sábado (27/04) [ + ]

Fonte: G1 > Campinas e Região

Fonte: G1 > Tecnologia e Games

MPF-SP entra com ação para Microsoft suspender coleta de dados no Windows 10

Procuradoria pede que empresa pague indenização de R$ 10 milhões por danos morais e que lance atualização. Gustavo Lang, diretor de Windows no Brasil, demonstra integração do Windows 10 com óculos de realidade mista Bruno Araujo/G1 O Ministério Público Federal de São Paulo entrou com ação civil pública contra a Microsoft para impedir que o Windows 10, o sistema operacional da gigante de tecnologia, siga coletando dados das pessoas sem autorização. O MPF-SP deu entrada no processo no começo de abril, mas só divulgou a ação nesta quarta-feira (25). Os detalhes do processo estão sob segredo de Justiça. Os promotores argumentam que, ao instalar ou atualizar o Windows 10, o usuário não pode evitar que a Microsoft obtenha diversas informações, como: geolocalização; conteúdo de emails; hábitos de navegação e; histórico de buscas na internet. Esse procedimento, diz o MPF-SP, viola vários princípios constitucionais, da proteção da intimidade além direitos relativos às relações de consumo. No pedido de tutela provisória, o MPF-SP pede que a Microsoft: interrompa a coleta de dados de forma automática pelo Windows 10; inclua alertas aos usuários sobre as consequências de autorizar a transferência de dados; pague multa de, pelo menos, R$ 10 milhões por danos morais causados. Para os procuradores, a Microsoft desrespeita o Marco Civil da Internet e o Código de Defesa do Consumidor, que exige comunicação clara sobre os riscos que apresentem. Segundo a ação, a última atualização do sistema operacional tornou obrigatória a chamada telemetria básica nas versões domésticas. Assim, mesmo que o consumidor desabilite a opção de fornecer dados, a Microsoft continua coletando informações que considera essenciais para o desempenho do serviço. "Tal postura é indicadora de um objetivo mais amplo e relevante para os interesses comerciais da empresa, de potencializar ganhos e lucros com essa coleta invasiva de dados de seus consumidores", afirmou o procurador Pedro Antônio de Oliveira Machado, autor da ação, em comunicado. O procurador afirma que vários órgãos públicos usam o Windows 10, incluindo Justiça Eleitoral, Justiça Federal e o próprio MPF. Por isso, é necessária uma análise constante por técnicos para evitar que atualizações do sistema modifiquem as configurações e passem a permitir o envio de dados não controlados pelo MPF, o que colocaria em risco informações sigilosas e sensíveis, como as de investigações. O MPF-SP quer que a empresa promova a adequação do sistema operacional em até 15 dias, para que a regra seja de não mais coletar informações pessoais de usuários. Solicita que a Microsoft lance uma atualização imediata do Windows 10 em uso, para que todos os usuários possam usufruir das mudanças, sob pena multa diária de pelo menos R$ 100 mil em caso de descumprimento. O MPF também acionou a União, a quem acusa de omissão na defesa dos consumidores. Representantes da companhia no Brasil não puderam comentar o assunto de imediato. [ + ]

Fonte: G1 > Tecnologia e Games

Golpe do Bolsa Família atrai 600 mil vítimas no WhatsApp

Mensagem recebida no WhatsApp com o link fraudulento. (Foto: Reprodução/Psafe)Criminosos estão usando o Bolsa Família como tema em mais um golpe disseminado pelo aplicativo de mensagens WhatsApp, de acordo com o dfndr lab, o braço de pesquisas de cibercrime da PSafe, fabricante de antivírus para Android. A mensagem promete um adicional de R$ 954 para beneficiários do programa social do governo.A fraude leva usuários para uma página que obriga a vítima a compartilhar o link maliciosos com seus contatos ou grupos. No fim, o site malicioso oferece a instalação de aplicativos possivelmente indesejados e que podem deixar o celular vulnerável, de acordo com a PSafe. A "recomendação" de aplicativos é um golpe frequente no Android, pois é muito comum que desenvolvedores paguem quem "recomenda" a instalação de seus aplicativos, inclusive para aplicativos cuja instalação é grátis. Dessa forma, os criminosos conseguem lucrar com o golpe.A empresa diz que seus filtros de segurança impediram 600 mil pessoas de acessar o link malicioso em 24 horas. Em certos momentos, o número de bloqueios chegou a 40 mil por hora.O golpe pode ter sido impulsionado pela notícia de um possível aumento no benefício do Bolsa Família em estudo pela equipe econômica do governo federal.Quem clica no link é obrigado a responder três perguntas: "Você possui o cartão bolsa família?", "Você recebe todo mês?" e "Você conhece amigos ou parentes que recebe?". As respostas não fazem diferença: no fim, a vítima deve encaminhar o golpe para dez amigos ou grupos antes de ter acesso ao "benefício".Quem recebe a mensagem é aconselhado a ignorá-la e não acessar o site indicado nem encaminhar o link.De modo geral, o golpe tem o mesmo formato das outras fraudes que circulam no WhatsApp. Portanto, usuários devem ficar atentos para não cair em outros golpes semelhantes, ainda que utilizem um tema diferente.SAIBA MAIS'Recarga grátis' atrai vítimas para novo golpe no WhatsAppGolpe no WhatsApp promete kit de maquiagem pelo Dia da MulherGolpe no WhatsApp atinge milhares com falso cupom de fast foodGolpe no WhatsApp sobre '14º salário' chega a milhares de internautas'CNH gratuita' vira tema de golpe no WhatsApp, alerta empresaGolpes no WhatsApp podem elevar conta do celular; veja lista e fuja deles Dúvidas sobre segurança, hackers e vírus? Envie para g1seguranca@globomail.com [ + ]

Tel. (19) 2122.8500
Fax (19) 2122.8522
R. Barão de Jaguara, 707, 3º andar - sala 31 Mozart
CEP 13015-926 - Campinas, SP - Brasil
suporte@sigmanet.com.br

Copyright ® 2018 Sigmanet | Todos os direitos reservados